EXCLUSIVO: O ESTADO MISERÁVEL A QUE CHEGOU O SISTEMA DA JUSTIÇA EM PORTUGAL

 www.interceptportugal.com

Relatos de casos judiciais que retratam o estado miserável a que chegou o sistema de justiça em Portugal.

            Este é o segundo caso que vamos revelar é a historia de uma conspiração! Mas uma conspiração inesperada e invulgar, porque é organizada entre um advogado de defesa e o seu próprio opositor, advogado de acusação. Uma intriga entre advogados que fingem estar em lados opostos, mas que na realidade estão combinados entre si para extorquir dinheiro de um dos seus clientes!

Segundo as nossas fontes :

“- É uma conspiração para iludir a realização da justiça!

– É uma conspiração que viola as regras deontológicas dos advogados!

 – É uma conspiração que assenta na pratica de um crime!

– É uma historia de ambição, onde traição convive com a completa falta de escrúpulos!

– Esta conspiração é explosiva por duas razões:

            – Por um lado, pelos advogados que a protagonizam!

            – Por outro lado, pela polemica que já envolveu o caso judicial em questão.”

Os protagonistas: do lado da defesa, o conhecido advogado Pedro Proença, ex-comentador de casos criminais da TVI . Do lado da acusação – Sergio Vital Moreira, um advogado com ligações familiares a Vital Moreira, um dos “ Pais” da Constituição e membro do escritório do Ex-Presidente Jorge Sampaio, Ex-Ministro da Justiça Vera Jardim, Antonio Costa, atual Primeiro Ministro.

            A polemica do caso judicial em questão: trata-se nem mais nem menos, do celebre caso de uma alegada violação por parte de um cidadão Luso-Russo, que provocou a demissão compulsiva de Pedro Proença da TVI; O celebre período que este fez, no âmbito desse caso judicial, do afastamento da juíza do TR que estava a apreciar o processo, com base na alegação, por si só já era suficientemente grave para merecer uma forte censura publica e miserável depois da exposição e justificação deste caso por ele próprio na SIC a seguir desta noticia.

Juíza Adelina Barrada de Oliveira do Tribunal Relação.

Baseada na alegação, por parte Pedro Proença, de que a referida juíza não era imparcial, por ser “ mulher e mãe”! Mas justificação era única! Já se conheciam um ao outro nos anos anteriores no TR e relação entre ambos já na altura era muito amargo.

Mas como veremos pelo que iremos revelar de seguida,segundo as nossas fontes : o comportamento dos dois advogados em questão e ainda mais grave, de ponto de vista deontológico e até criminal, porque entre eles forjaram um plano feio e articulado com propósito de extorquir dinheiro a umadas partes, mais precisamente do cliente defendido por Pedro Proença!

Pedro Proença

Pedro Proença era o advogado do arguido, o cidadão Luso-Russo, G.A. e foi nessa qualidade de defensor que pediu o afastamento da juíza Adelina Barradas de Oliveira do processo, dando origem ao conhecido como de protestos generalizado na comunicação social. Mas ao mesmo tempo em que fazia esta exigência no processo, estabelecia em simultâneo com o advogado da parte contraria, que representava a alegada “vitima”, Vital Moreira, um entendimento para atraiçoar o seu próprio cliente, dando-lhe informações sobre o mesmo, que estava impedido de dar, e até forjando um plano para lhe extorquir dinheiro.”

Haver acordos entre advogados de partes contrarias, com acordo dos clientes que representam, anormal.

Sergio Vital Moreira

O que JÁ NÃO É NORMAL é que um advogado tente “vender” o seu cliente ao advogado que se lhe opõe!

Enquanto ainda defendia o seu cliente, e o visitava na prisão,Pedro Proença construía ardilosamente com o advogado da alegada “vitima” o seu opositor Vital Moreira, o acordo para a “Entrega” do seu cliente, violando ambas assim ostensivamente não só as suas obrigações deontológicas como advogados, mas incorrendo inclusive de pratica num crime que não é tratado com menos severidade pelo código penal.

O InterceptPortugal publica hoje Segundo as nossas fontes : “as conversas entre os dois advogados em questão por mensagens telefónicas através dos seus respetivos celulares.” E uma linguagem impressionante, com recurso a algumas vezes a expressões improprias para advogados.

E não faltam até alusões as polemicas da TVI e do “Correio da Manha” que levaram ao afastamento Pedro Proença daquela estação televisiva, que ele tem e fica tanto desesperado, porque é uma forte fonte financeira e de angariação de clientela para si próprio!

            Com estas transcrições,segundo as nossas fontes duas coisas ficam evidentes:

  1. Por um lado, o poder de manipulação de casos judiciais por parte de grandes escritórios de advogados, neste caso um escritório de enorme influencia politica, e por aonde passaram um antigo Presidente da Republica, um antigo Ministro da Justiça, todos eles do Partido Socialista!
  2. Por outro lado, com atitude de Pedro Proença, que vendeu o seu próprio cliente( de qual recebeu ao mesmo tempo dinheiro, e se calhar NÃO É POUCO!) Ao advogado seu opositor, quem o devia defender, fica no ar a suspeição de que o seu comportamento tão escandaloso e tão leviano, possam ter dado origem á condenação de um inocente, eludindo a realização da justiça.

Mas deixamos que os fatos falem por si!

  • No dia 07.04.19 enquanto Pedro Proença ainda representava o G. A., negociava já a forma de o “vender” e, entregar ao seu opositor, Vital Moreira.  Às 17:00pm horas desse dia cruzaram a seguinte conversa telefónica Segundo as nossas fontes:
  • (1) 919xxx487- SRP
  • (2) 917xxx052- P

“Vital Moreira: Colega, necessito reunir consigo referente ao seu cliente G.A.”

“Pedro Proença: Caro colega, será uma honra reunir com o colega, mas terá de ser depois do dia 15, pelo fato a estar fora do pais. Mas informo que depois de reunir no estabelecimento prisional com o cliente (G.A.)  podemos almoçar e fazer o acordo”

Promessa de fazer o acordo, aparentemente, como se tivesse a autorização do seu cliente. Mas tal autorização NUNCA EXISTIU!!!

Os dois advogados combinam almoçar num luxuoso hotel em Lisboa “Tivoli”, porque os dois já estão convencidos que todas estas e futuras despesas estão bem cobradas! A linha de credito – Está aberta!

  • No dia 20.05.19 acertaram os detalhes desse encontro

“Pedro Proença: Colega, já sei que deixou mensagem com a Paula, confirma-se amanha no Tivoli?”

“Vital Moreira: Caro Colega, já estou no Tivoli”

O almoço ocorreu com a reunião entre os dois advogados. Sem nunca ter dado conhecimento desse encontro ao seu cliente! Pedro Proença tenta novamente convence-lo a pagar uma indemnização avultada à “ Alegada” vitima queixosa, mas aqui surge um grave problema para ambos – G. A. não assume nenhum crime que foi acusado, considerando-se inocente, explicando que não havia violação nenhuma, tudo foi encenado, que é vitima de uma acusação infundada; G. A. recusa categoricamente este pedido, como se depreende na conversa seguinte ocorrida no dia 05.06.19

“Pedro Proença: Depois do combinado, passei pelo estabelecimento prisional e informo o colega QUE NÃO CORREU BEM !?!”

“Vital Moreira: Então Colega, ele não aceita? Era melhor para ele aceitar!”

“Pedro Proença: Sim, mas ele não está disposto a pagar o que for à sua constituinte! G.A. é teimoso e deve estar a falar com outros colegas! NÃO ACEITA!”

            Segunda falha grave de Pedro Proença: Depois de ter tentado fazer um acordo com um advogado opositor à revelia do seu cliente, revela ao mesmo opositor (num gesto de subserviência) que o seu cliente pode estar a ser aconselhado por outros advogados. Atitude extremamente grave do ponto de vista deontológico!

            Mas o mais grave está ainda para chegar, como se pode ver pela conversação seguinte. Tal conversação é reveladora e até escandalosa. Reveladora, porque é evidente que entre ambos os advogados foi estabelecida um plano de vigilância e monotorização pessoal de vida privada de G.A., o cliente de Pedro Proença, vigilância e monotorização proibidas por lei, já que apenas as policias e o MP as podem fazer! Escandalosa pelo baixo nível de linguagem utilizada por dois advogados com grande notoriedade publica e que deveriam dar um exemplo de ética mais elevada.

  • No dia 17.06.19 o dialogo travado exemplifica bem o que acabamos de revelar há pouco:

“Vital Moreira: Colega, o Gonçalo em tempos disse-me que a casa (moradia do G.A.) está á venda”

  • No dia 18.06.19:

“Vital Moreira: Vamos almoçar na quinta-feira? Minha fonte disse-me que já não está a conseguir aceder à informação por parte do Russo”

“Pedro Proença: OK”

“Vital Moreira: Eu disse-lhe e volto a aconselhar! Receba o que tem a receber e mande FODER o Russo.”

“Pedro Proença: Ok, vou fazer na primeira oportunidade”

            Que baixo nível, esta linguagem entre advogados, profissionais do foro, que devem lutar pela realização de justiça “ Estou fodido, perdi a TVI”

“Receba o que tem a receber e mande foder o Russo!”

Fica ao critério de quem ler isto, decidir o que é mais grave se a linguagem do ex-comentador da TVI ou se a linguagem e arrogância do advogado do escritório do Ex-Presidente Jorge Sampaio e do Primeiro Ministro Antonio Costa.

            Mas os dois advogados não quiseram apenas vigiar elicitamente o cliente de Pedro Proença: Após este ter sido demitido compulsivamente da TVI, procuraram igualmente saber a origem das fontes de noticia publicadas na imprensa, tentando até estabelecer uma relação de conluio entre um jornal “Correio da Manha” e a Juíza Adelina Barrada de Oliveira do Tribunal Relação.

O dialogo seguinte é muito eloquente e elucidativo, no dia 20.07.19

“Vital Moreira: Caro Colega, foram os gajos do Correio da Manha”

“Pedro Proença.: Sabe quem foi?”

“Vital Moreira: Vou ver”

  • E depois deste dialogo, e por não conseguir o que pretendia do seu cliente G.A., Pedro Proença comunica de novo com Vitor Moreira, no dia 25.07.19

“Pedro Proença: Caro Colega, aformo que acabo de renunciar ao mandato do G.A.”

“Vital Moreira: Colega, sabe algo mais??”

“Pedro Proença : Estou a tentar uma informação de dentro!!”

“Vital Moreira: Bravo, colega, seria excelente, se for necessário, dá-se a uma coisa a J., ele tem é que ter a informação de interesse. Estou pronto a morder o Russo e dar-lhe uma lição!”

“Pedro Proença: O correio da Manha fodeu-me e bem, eles trabalham com a Juíza!”

Este dialogo é revelador da falta de escrúpulos com que atuaram os 2 advogados, violando gravemente as obrigações deontológicas que governam a Ordem dos Advogados.

Um advogado de defesa, que REVELA as relações com o seu cliente à parte contraria: “ Acabo de renunciar ao mandato do G. “ Um advogado de defesa que não hesita em trair o seu cliente e em violar o seu mandato profissional: “ Vou tentar uma informação de dentro”. Um advogado de acusação que tenta comprar a parte contraria: “ Bravo, colega, seria excelente, se for necessário dá-se alguma coisa ao J.,ele tem é que ter a informação de interesse. Estou pronto a morder o Russo e dar-lhe uma lição!” Tiveram uma toupeira (informador) dentro das empresas G.A. !! Um advogado de defesa que tem linguagem de bordel: ”O correio da Manha fodeu-me e bem, eles trabalham com a Juíza!”

Que nível!? Que baixeza!? Que procedimento!? E se o comportamento de Pedro Proença é vergonhoso, ao entregar assim o seu cliente ao inimigo, o comportamento de Vital Moreira é inqualificável; é o comportamento de alguém que se sente capaz de fazer tudo e de usar todos os métodos com impunidade, talvez impunidade de alguém que sabe pertencer ao um escritório poderoso de advogados, protegido pela sombra e influencia de um Ex-Presidente da Republica, um Ex-Ministro da Justiça e um Primeiro Ministro em funções !!??

Mas se o leitor deste site acha que o que leu já é muito e muito grave, prepare-se, por que ainda é possível ir mais longe neste pacto de traição e de perfídia e cinismo!!  Traição e perfídia que continuaram depois de Pedro Proença ter renunciado ao mandato com o seu cliente.

No dia 17.06.19 Vital Moreira voltou a atacar e mostra que para ele todos os métodos, mesmo os mais baixos, são possíveis!

“Vital Moreira: Colega, você disse-me que não estava a tratar dos assuntos do Russo. Mas alguém requereu certidões. O colega ainda fala com o seu contato na Empresa?”

“Pedro Proença: Vou tentar saber”

“Pedro Proença: Colega, o contato da Empresa está fora”

“Vital Moreira: Colega, o Russo está com magias no processo. Consegue falar e saber alguma coisa com os seus contatos?”

“Pedro Proença: Vou fazer contatos”

“Vital Moreira: Estou -me a foder para o Russo, só quero é morder-lhe o que ele roubou da minha cliente ”

“Pedro Proença: Ok, eu faria o mesmo. Ele tem dinheiro e bens.”

“Vital Moreira: Ok, Colega. Muito obrigada.”

Estes diálogos, estas transcrições de mensagens dadas por nossas fontes são elucidativas do mundo escuro da justiça em Portugal e reveladores do que esse mundo escuro não se esgota nos abusos e manipulações de policias, procuradores, juízes. Eles ocorrem também do lado de onde se esperava a melhor defesa dos cidadãos, do lado único de aonde estes podem receber uma ajuda, dos seus advogados.

            Revelamos estas conversas (e temos muito mais) porque a sua gravidade é tão grande que, depois do seu conhecimento, as instituições tem de atuar!

  • Atenção, Ordem dos Advogados: que vai fazer com estes dois advogados que de forma tão ostensiosa, violam o seu código deontológico e desonram a profissão?
  • Atenção, Policia Judiciaria e Ministério Publico: que vão fazer perante esta revelação tão flagrante no indícios de crimes??
  • Muita atenção aos clientes destes advogados:

Pensem bem… nas mãos de quem vocês estão? E qual a defesa que podem ter !!??

Será que tudo vai ficar na mesma?

O site www.interceptportugal.com continuará nos próximos dias a revelar outros escândalos que retratam o estado a que chegou a justiça neste estado que não é de direito!!

            É caso para se dizer: A que estado a que isto chegou!!!!

Não é um episódio de uma telenovela ou mesmo o filme é, a história de vida de o homem cidadão português que está sentenciado a uma pena de prisão e a data que o INTERCEPT PORTUGAL denúncia , F.C. está sujeito a uma vida de reclusão no Estabelecimento Prisional algures .


PROCESSO :256/14.1 JALRA-A TRIBUNAL das CALDAS da RAINHA

Não é um episódio de uma telenovela ou mesmo o filme é, a história de vida de o homem cidadão português que está sentenciado a uma pena de prisão e a data que o INTERCEPT PORTUGAL denúncia , F.C. está sujeito a uma vida de reclusão no Estabelecimento Prisional algures .

Esta história real pode ser a história de qualquer homem que amanhã seja denunciado por uma excompanheira que sofra de uma patologia de psicopata.

A excompanheira de F.C. , em determinado momento da vida com sede de se vingar do excompanheiro F.C. pelo facto de não aceitar a rotura de relacionamento e separação conjugal , planeou na sua imaginação uma VINGANÇA contra o excompanheiro, acusando este de violar a filha , criança menor de idade de quem esta mulher e F.C. são os progenitores .

Denúncia que foi executada porém a mesma não foi sujeita a uma investigação policial e sem provas factuais resultado de uma análise forense este homem foi acusado pelo ministério público de o crime que não cometeu e foi condenado pelo Tribunal.

INTERCEPT PORTUGAL acedeu ao processo pela mão de F.C. e conclui ,
que este processo está repleto de sugestões de o possível crime , porém uma prova factual concreta do suposto crime praticado pelo F.C. , NÃO CONSTA DA ACUSAÇÃO.

Supostamente o Ministério Público tem objectivos a alcançar de condenações, nomeadamente crimes sexuais e crimes de violência familiar , para fins de estatística e relatório social perante o governo e Bruxelas.

Às associações de defesa dos direitos da mulher , movimentos feministas ,
LGBT e políticos interessa a estes a causa da MODA que é ” violência sexual ” ou ” violência familiar ” porque atrai fundos de capital e aos políticos DÁ VOTOS!!!

F.C. foi julgado e condenado a uma pena efectiva de prisão , sentença produzida na livre convicção dos factos apreciados pelo tribunal.

Consequentemente a sua vida social desmoronou e pela imposição do tribunal é afastado da filha menor , hoje esta criança É ÓRFÃ DE O PAI QUE ESTÁ VIVO !

INTERCEPT PORTUGAL conclui que este homem foi sujeito a uma acusação por parte de alguém que tem graves transtornos psíquicos.

E , supostamente a criança foi manipulada pela mãe para em sede de inquérito mentir à justiça , e hoje vive no silêncio o terror da ausência do pai F.C. , o homem que sempre foi o pai presente e protector .

Como corrigir este erro grave da Justiça Portuguesa? Onde estão os peritos forenses para avaliar este tipo de processos de forma isenta e imparcial? Pode o recurso extraordináriode revisão de sentença transitada em julgado corrigir a história de F.C. ?

O crime de pedofilia destrói a alma da vítima, este crime como todos os outros deve de ser denunciado e julgado , MAS JULGADO COM PROVAS FACTUAIS E MAGISTRADOS ISENTOS À PRESSÃO DA OPINIÃO PÚBLICA E DA COMUNICAÇÃO SOCIAL.

QUEM SUPERVISIONA A JUSTIÇA PORTUGUESA DE FORMA IMPARCIAL E ISENTA ???

QUEM SUPERVISIONA A JUSTIÇA PORTUGUESA DE FORMA IMPARCIAL E ISENTA ???

No estrito respeito pela Constituição da República Portuguesa , tribunais , seus administradores de justiça, agentes de
polícia, somos e vamos ser um agente isento e livre denunciando a actuação de magistrados e agentes de polícia que , no exercício da sua actividade não são isentos de influência política e social no âmbito das suas obrigações de uma correcta condução dos inquéritos e diligências processuais necessárias no exercício da administração da justiça, dever jurado por juízes , procuradores do ministério público, advogados, funcionários dos tribunais judiciais e agentes de polícia.

JURARAM SERVIR A VERDADE DA LEI !

É notário e evidente que hoje mais do que no tempo do Salazarismo à fuga de informação das secções de investigação criminal e dos tribunais. Processos em estado de segredo de justiça surgem nas primeiras páginas da imprensa portuguesa e são abertura de noticiários ….Na maior violação da dignidade do cidadão e do seu direito de defesa .
Há hoje uma classe de comunicadores alinhados ao poder judicial que sucessivamente promovem em Portugal a violação do segredo de justiça e , sistematicamente promovem o alarme público para em sede do primeiro inquérito do cidadão suspeitos o ministério público e o juiz de instrução criminal tenham o fundamento de pedir e sustentar a medida de coacção mais gravosa do código penal e do processo penal , a PRISÃO PREVENTIVA do suspeito , antecipadamente condenado por alguns comunicadores sociais .

INFORMAR NÃO É SEQUESTRAR O DIREITO DE DEFESA DO CIDADÃO SUSPEITO!

Todos aqueles que têm responsabilidade de exercer a boa e correcta administração da justiça cedem às pressões da comunicação social para sem isenção condenar , sentenciar e prender .

Qual é o cidadão ou o advogado que tem o ” dom ” de contrariar noticias falsas e especulativas que em praça pública condenam o cidadão antes de este ser sujeito a o julgamento isento e imparcial ?! Quem ?!

Há juízes corruptos ? Há procuradores do ministério público corruptos ? Há advogados corruptos? Há agentes de polícia corruptos ?

Opinião pública e popular em Portugal afirma que supostamente SIM há corrupção na justiça.

Os Estabelecimentos Prisionais supostamente têm em cumprimento de pena cidadãos que foram alvo de julgamentos sem imparcialidade e que viram os seus processos serem alvo sucessivo da violação do segredo de justiça .

Advogados que em vão viram recusadas diligências requeridas a favor dos seus constituintes em sede de inquérito , instrução e juízo serem objecto de recusa pelos tribunais resultando no prejuízo da defesa do acusado.

Diligências de prova recusadas e indivíduos condenados pelo princípio da livre convicção dos magistrados a semelhança tribunais da inquisição.

INTERCEPT PORTUGAL VAI DENUNCIAR!

O leitor do Intercept Portugal vai participar na denúncia ao partilhar nas redes sociais toda a informação editada na plataforma digital INTERCEPT PORTUGAL.

Portugal Intercept -Denúncias

O Intercept Portugal quer receber suas denúncias

Um dos princípios fundadores do Intercept é que a denúncia é vital para responsabilizar instituições de poder. O começo da nossa história está, em parte, relacionado às revelações feitas por Edward Snowden sobre espionagem digital ao redor do mundo. Por isso, estamos muito comprometidos com a publicação de reportagens baseadas em informações confidenciais, relevantes e de interesse público.

Então, tanto no setor público quanto no privado, se você ficar sabendo de qualquer comportamento que acredita ser antiético, ilegal ou prejudicial ao interesse público, considere compartilhar suas informações conosco de forma segura.

Nossos repórteres trabalham junto com especialistas em segurança digital e advogados para minimizar o risco de exposição nas apurações mais sensíveis. Se você quer nos contar algo ou nos enviar algum tipo de documento ou informação, siga as nossas orientações para se comunicar de forma segura .

Notícias ,Exclusivos, Denúncias